Vermelha

Quando a poesia
anda muito enfeitada
vestindo um longo verso de gala
aguardo paciente
que se sente
cansada

e que ao cruzar
de suas belas metáforas
possa entrever
– viva –
a cor
de sua
lavra.

Esta é uma poesia antiga que não entrou no meu livrinho…

Anúncios

~ por jeffvasques em 03/03/2010.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: