Jorge Roberto Santoro


Roberto Jorge Santoro se apresentava assim: “sangue tipo A, fator RH negativo, 34 anos, 12 horas diárias a busca castradora, desumana, do soldo que não se alcança. Dois empregos, escritor surrealista, ou melhor, realista do sul. Vivo em uma engrenagem. Filho de operários, tenho consciência de classe. Rechaço ser travesti do sistema, essa podre máquina social que faz que um homem deixe de ser um homem, obrigando-o a ter um despertador no cú, um bilhete de loteria na cabeça e um cadeado na boca.”

Santoro assumiu sempre uma atitude política militante. De idéias trotskistas, na década do 60 integrou-se ao Partido Revolucionário dos Trabalhadores (PRT). Como muitos amigos, poderia ter saído do país assim que começou a ditadura, mas optou por ficar e trabalhar em clandestinidade. Um dos trabalhos mais destacados de Roberto Santoro é o que realizou para compilar os textos que fazem parte de “Literatura de pelota”, obra em que reproduz poemas e escritos de destacados intelectuais argentinos a respeito da paixão pelo futebol. Santoro inaugura, assim, a primeiro aproximação para a tentativa de reconciliar à alta cultura com as expressões mais populares da
sociedade argentina.

Nasceu em Buenos Aires em 17 de abril de 1939. Foi pintor, repositor, professor em uma escola industrial, tipógrafo, vendedor ambulante e poeta. Foi sequestrado por elementos do terrorismo de Estado em 1o de junho de 1977. Até hoje se encontra desaparecido.

AS COISAS CLARAS

minha voz está em seu lugar
o coração sabe algo mais porque me dói

por isso digo:
terrível ofício
é repartir equivocadamente os abraços
e que a alma viva entre cachorros esfomeados

um de meus erros
foi crer que todos éramos irmãos

e agora
não se pode trocar o horizonte pela nostalgia
há que esquecer-se dos velhos sorrisos
e andar com a dor às costas
para que sirva definitivamente

nunca disse
minha lágrima foi grande
sofri
não me quiseram

cada um conhece sua dor
e sabe de que maneira conversar com a desgraça

que venha a vida e me golpeie
de nada vale fechar os olhos

um homem dormindo
é uma dor que descansa

é duro o amor quando se nega
um dia no entanto recosta seus abraços
apoia seu mistério em minha cabeça
e me leva a viver no primeiro piso de um incêndio

não comparo
simplesmente dou meu fruto
e espero

da semente mais humilde
pode brotar o fogo ou a formosura

se estou encurralado entre dois beijos
decido me enroscar ao pé de meu coração
e sonho

sou triste até os sapatos

à hora do chá
minha alegria se senta e chora comigo

mas sustento que um dia
ainda que o amor seja o irmão implacável da chuva
da minha casa a teus olhos
não haverá naufrágios.

LIMPEZA

durante 15 segundos
e em jejum
repita-se diariamente
as seguintes palavras
fi-lhos-da-pu-ta-fi-lhos-da-pu-ta

CHUVA NA VILA

lá fora
a água cai
de cima pra baixo
cá dentro
a água sobe
de baixo pra cima.

TEORIA POÉTICA

a estética
ética est

Anúncios

~ por jeffvasques em 24/09/2010.

2 Respostas to “Jorge Roberto Santoro”

  1. Adorei o ritual de limpeza! vou repeti-lo a partir da próxima manhã, seja ela daqui cem kilômetros.

  2. Camarada Jeff,

    Esta tua iniciativa de divulgar poetas importantes de nossa latinoamérica tem trazido à tona pérolas belíssimas da literatura que, obviamente, não viriam à tona de outro modo.

    “mas sustento que um dia
    ainda que o amor seja o irmão implacável da chuva
    da minha casa a teus olhos
    não haverá naufrágios.”

    De fato, um homem que consegue exprimir algo tão forte, quando se sente triste das coisas da vida e em meio a algo que lhe “leva a viver no primeiro piso de um incêndio”, aponta que a humanidade tem sim possibilidades de viver plenamente!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: